Antonio Joaquim Severino

Antonio Joaquim Severino

Bacharel e mestre em Filosofia pela Universidade Católica de Louvain, Bélgica; doutor em Filosofia pela PUC de São Paulo.
Livre-docente em Filosofia da Educação pela USP. Professor titular de Filosofia da Educação, Faculdade de Educação da USP. Áreas de especialização: Filosofia, Filosofia da Educação, Epistemologia e Metodologia Científica.

 

Antonio Gramsci

Segundo Gramsci, a educação tem participação fundamental na elaboração, sistematização e irradiação da concepção de mundo que estabelece a ordem social tal como ela é, pois prepara os intelectuais, que são os agentes dos aparelhos de hegemonia. A educação tem assim papel importante na configuração, na disseminação e na reprodução da ideologia e, consequentemente, na preservação do poder das classes dominantes. Mas ela atua também como força de transformação social, mediante a elaboração, sistematização e disseminação de concepções de mundo contra-ideológicas. É nessa tensão constante que o educador exerce suas atividades, ora de preservação da ordem já constituída, ora de transformação dessa realidade.

Conteúdo:
- O lugar da filosofia na existência dos homens e como todos os homens são.
- A capacidade de sairmos do senso comum para chegarmos ao bom senso.
- O novo papel da ideologia e como esta é pensada como cimento da sociedade.
- A educação, a ideologia e a contra-ideologia
- A educação como força de transformação.
- Consciência teórica e vida real. Atividade teórica e atividade prática.

R$ 60,00

comprar

Comte

Augusto Comte foi um dos filósofos que marcou mais profundamente a cultura brasileira. É seu o lema estampado em nossa bandeira: “Ordem e Progresso”.
O positivismo, como será chamada a filosofia de Comte, desenvolveu-se em dois ramos: o epistemológico, que defende o método científico, e o ramo teológico, ideologicamente tradicional e conservador.
No plano ideológico, Comte pensa a educação como uma força reprodutiva das estruturas sociais já que para ele a escola deve reproduzir os valores vigentes daquela sociedade.
Já no plano epistmológico, para Comte as escolas devem promover a prática da metodologia científica e ajudar o aluno a abandonar as crenças míticas de sua infância, a ir além das pretensões infundadas da adolescência e a chegar à idade adulta adotando as conclusões sustentadas pela ciência. Mais do que uma introdução à ciência, pensa a educação como iniciação ao procedimento técnico, pois é por meio dele que o homem irá dominar o mundo. Essa visão pragmática e tecnicista irá marcar a escola até os dias de hoje.

Conteúdo:
- Reforma intelectual da ciência
- Teoria dos Três Estados
- Ciências humanas
- Positivismo epistemológico e teológico
- Positivismo no Brasil
- Escola Nova

R$ 60,00

comprar

Friedrich Nietzsche

Para Nietzsche, a educação deve despertar as potências dionisíacas do homem, o que pressupõe uma crítica radical aos valores da cultura racionalista, presente na filosofia, na ciência e na própria religião. Segundo o filósofo alemão, a filosofia, a ciência, a religião precisam ser superadas, para que o homem possa agir por força de suas potências vitais, pela pulsação da vida, e não da razão lógica.
A educação, portanto, deve estar no sentido da busca da liberdade do espírito, na potencialização da vontade de poder do indivíduo e da constituição de um homem superior, sem as amarras da religião, do Estado e dos valores morais ocidentais.

Conteúdo:
- Razão e sensibilidade: o dionisíaco contra o apolíneo.
- Uma filosofia construída a marteladas.
- A crítica à cultura decadente do mundo ocidental.
- Questionando a ciência, a filosofia, a religião e a moral ocidentais.
- Propondo a constituição de um homem superior.
- A educação em busca da liberdade do espírito

R$ 60,00

comprar

Hegel

Hegel é um dos pensadores mais importantes e complexos da filosofia ocidental. Formulou uma síntese da filosofia que tinha sido produzida até então, no século XIX.
Hegel introduz a dimensão da historicidade no debate filosófico, fazendo uma notável inflexão, já que desde os gregos dominava a ideia de que havia uma realidade estável, imutável, permanente.
Além de um pensador produtivo e revolucionário, Hegel foi professor e reitor de universidades. Embora nunca tenha escrito uma obra sobre educação, formulou, em discursos que fazia ao final dos anos letivos, algumas propostas educacionais em campos como currículo e metodologia, destacando sempre o papel do professor como exemplo e inspiração do educando.

Conteúdo:
- Historicidade
- Razão sensitiva e razão mística
- Dialética
- Discursos sobre Educação: currículo, metodologia e disciplina

R$ 60,00

comprar

Immanuel Kant

Immanuel Kant, um dos mais importantes filósofos da história, foi diretor de escola e professor. Ele representou o momento mais significativo da filosofia na Idade Moderna e ainda influencia profundamente os pensadores da atualidade.
Para Kant, todos os investimentos pedagógicos devem ser na direção de promover a busca pela perfeição, que se dá pela plenitude da moralidade. Para tanto, se deveria promover a disciplina, não como forma de opressão, mas para se superar o comportamento puramente instintivo. Valorizava a ampliação do conhecimento, particularmente o conhecimento científico, mas também da arte e da estética. Acreditava, enfim, que o sujeito deveria tornar-se cada vez mais moral, prudente, culto e emancipado.

Conteúdo:
- Comparação entre o projeto iluminista da modernidade e filosofias anteriores.
- O conhecimento não atinge as essências, mas apenas os fenômenos.
- Uma nova e surpreendente teoria do conhecimento.
- A ciência e a moral na escola.
- As condições da razão teórica e as possibilidades da razão prática.
- A Educação e a emancipação do sujeito.

R$ 60,00

comprar

Jacques Rousseau

Em uma época em que a filosofia tratava do homem como um ser abstrato, Rousseau propõe uma visão radicalmente diferente e passa a pensar o homem como um ser concreto e histórico.
Preocupado com a felicidade dos seres humanos, busca saber o que torna infeliz o homem, que julga nascer feliz e em harmonia com a natureza.
Rousseau acredita que a sociedade e suas regras corrompem o homem, e faz uma proposta concreta e sistemática de como a convivência social pode se dar sem violentar a liberdade, a consciência e a criatividade do indivíduo. Para ele, a Educação está no centro dessa construção.

Conteúdo:
- Revolução filosófica: o homem concreto
- O homem e a natureza
- Contrato Social
- Naturalismo e antropocentrismo
- Emilio: uma proposta de Educação
- Rousseau e a educação contemporânea

R$ 60,00

comprar

Karl Marx

O pensamento de Karl Marx exerce profunda influência nas mais diversas áreas da atuação humana, desde na filosofia, na economia e na sociologia, até na educação.
Sua filosofia é uma análise sobre a dimensão política da sociedade. Traz implícita uma proposta político-pedagógica que reconhece que o papel mais importante da educação não é o desenvolvimento individual, mas o de colaborar para a transformação da sociedade em suas dimensões política e econômica

Conteúdo:
- Materialismo histórico e dialético
- Categorias marxistas
- Filosofia da práxis
- Superação do capitalismo
- O papel da Educação

R$ 60,00

comprar

Locke

John Locke faz parte do grupo de filósofos empiristas ingleses do século XVII. Defendiam que a construção do conhecimento passa necessariamente pela experiência e não é somente um acervo cultural herdado de geração em geração, nem apenas uma intuição intelectual, como imaginava Descartes.
Locke acreditava que o desenvolvimento intelectual deve ser conseguido a partir do exercício do conhecimento científico e que o desenvolvimento moral deve buscar a consciência dos princípios básicos do liberalismo, ou seja, das condições de liberdade, de igualdade e de propriedade.
Para este filósofo empirista, a Educação deve promover um constante contato com o mundo natural e as realidades concretas da vida.

Conteúdo:
- Empirismo
- Razão natural X metafísica
- Conhecimento: ideias simples e ideias complexas
- Contrato Social
- Educação liberal
- Conhecimento científico

R$ 60,00

comprar

Maquiavel

Até hoje utilizamos o termo maquiavélico de forma pejorativa, para designar uma manipulação, um ato esperto, astuto, imoral. Por que isso ocorre?
Desde os filósofos da Grécia antiga e da escolástica, acreditava-se que somente homens éticos poderiam gerar uma sociedade harmoniosa. Maquiavel promoveu uma importante ruptura com esse pensamento dominante, não vendo a necessidade de um comportamento moralmente correto para que haja uma boa convivência coletiva. Segundo o filósofo italiano, devem-se utilizar pragmaticamente quaisquer meios necessários a fim de garantir o funcionamento da sociedade. Para cumprir este objetivo, Maquiavel afirma que mais do que o convencimento, é a mão firme do estado que deve garantir a harmonia social.
Maquiavel não assume a posição própria de uma teoria pedagógica, mas se olharmos somente o conteúdo teórico de sua filosofia política, é possível concluir que para ele um bom modelo de escola seria aquele que estivesse a serviço da formação de um comportamento cívico.

Conteúdo:
- As limitações morais do homem
- Uma Filosofia Política
- Papel do governante para manter uma sociedade em harmonia
- Contrato social
- Educação e disciplina
- Formação do comportamento cívico

R$ 60,00

comprar

René Descartes

René Descartes introduz as bases da ciência e da filosofia modernas, bem como lança as referências de uma nova educação, aquela baseada no conhecimento objetivo da realidade. Trata-se do conhecimento científico metódico e criticamente estabelecido, mediante o qual se conhece também o modo de agir, o caminho adequado da ação.

Conteúdo:
- Um método seguro para o conhecimento da verdade: Discurso do Método
- Dualidade do homem: corpo e espírito
- Penso, logo existo
- A extensão dos corpos e a substância divina
- Bases da ciência e filosofia modernas
- Educação baseada no conhecimento objetivo da realidade

R$ 60,00

comprar

Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino

Embora Santo Agostinho se vincule à tradição platônica, de caráter idealista, e Santo Tomás de Aquino retome a tradição aristotélica, de caráter realista, suas concepções de educação convergem quanto a sua finalidade, que é aquela de formar o cristão.
Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino constituem os pilares da escolástica, essencialmente uma pedagogia fundada na teologia cristã e que se constituiu ao longo da Idade Média. Ambos os filósofos estão na base doutrinária da pedagogia do cristianismo e ainda têm profunda influência na pedagogia laica contemporânea

Conteúdo:
- Cristianização do Platonismo e do Aristotelismo
- Escolástica
- Relação entre fé e razão
- As teorias de conhecimento de Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino
- O agir em conformidade com a essência
- Educação como purificação
- Educação como ação de levar o homem à plenitude de sua essência
- A formação do homem espiritual

R$ 60,00

comprar

Sócrates, Platão e Aristóteles

Sócrates, Platão e Aristóteles inauguram a filosofia ocidental. Afirmam a condição do homem como estando fundada numa essência, imutável e eterna, perfeita em si mesma, mas comprometida por seu vínculo à matéria.
O pensamento desses filósofos gregos está profundamente ligado à educação. Sócrates faz uma defesa intransigente do conhecimento, Platão apresenta a perfeição do mundo das idéias e Aristóteles acredita que a educação é a transformação em ato das potencialidades dos homens.
Para eles, a educação deve ser o processo para levar o homem ao máximo possível de sua perfeição.

Conteúdo:
- Educação e o processo do homem rumo à perfeição.
- A busca do sentido em nossas ações.
- Sócrates e a defesa do conhecimento.
- A instauração da pedagogia filosófica e da filosofia pedagógica
- Entendimento, moral e virtude.
- Platão: o Mundo das Idéias
- Aristóteles: a natureza humana e a educação como atualização da potência.
- O pensamento metafísico se desdobrando na idade Media.

R$ 60,00

comprar