Leandro de Lajonquière

Leandro de Lajonquière

Professor titular da faculdade de Educação da USP. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Professor visitante em diversas universidades brasileiras, argentinas e francesas.
Membro da associação Analyse Freudienne, de Paris. Autor dos livros: “De Piaget à Freud: para repensar as aprendizagens” (1993), “Infância e Ilusão (psico) Pedagógica” (1999), “Figuras do Infantil. A psicanálise na vida cotidiana com as crianças” (2010)
Atividades do laboratório universitário: www.lepsi.fe.usp.br.

 

Sigmund Freud

A obra de Sigmund Freud trouxe uma forma radicalmente nova de se entender a condição humana. O inconsciente pensado por Freud revela que o homem é uma espécie de estranho na sua própria morada. Onde havia a ideia de unidade da consciência, de que o homem exercia controle absoluto de sua vida psíquica, há, na verdade, divisão, uma luta constante entre as pulsões de vida e a pulsão de morte.
A invenção da psicanálise não cessa de produzir ainda hoje seus efeitos. O campo da educação foi objeto de certa esperança por parte do próprio Freud. Costumava dizer que há três profissões impossíveis: a psicanálise, a política e a educação.
Sendo profissões da palavra, as três estão tomadas pela impossibilidade de se controlar os efeitos da intervenção. Assim sendo, na educação, só o reconhecimento dessa impossibilidade por parte do adulto que endereça sua palavra a uma criança é capaz de resguardar a dignidade do ato educativo.
Para isso, o adulto deve acolher o desejo infantil que anima toda intervenção educativa, única forma de instalar a possibilidade que o desejo faça do pequeno ser no mundo uma criança que pleiteie ficar grande.

Conteúdo:
- Biografia
- Psicanálise e educação
- Clones
- Repetição sem exatidão
- Salve-se!
- O inconsciente
- A palavra
- A palavra ordena
- O desejo
- Freud e a pedagogia
- O conhecimento
- Embaraço
- Professores embaixadores
- A escola

R$ 60,00

comprar